quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Debaixo de fogo II

Continuando a saga dos treinadores que, por um ou outro motivo, estarão "debaixo de fogo", num dos campeonatos com a imprensa mais agressiva, aqui ficam alguns nomes:

Rafa Benitez - O espanhol, possuidor de um palmarés já invejável, tem este ano provavelmente o seu grande desafio. Metódico, estudioso do adversário até ao mais infímo pormenor, mantêm um duelo particular com o português José Mourinho, ainda sem vencedor à vista. Nos 3 anos que leva no Liverpool, levou a equipa a duas finais da Champions, vencendo uma delas, numa empolgante final contra o Milão. Apesar das vitoriosas campanhas europeias, internamente o título continua a escapar aos "reds", desde o longínquo ano de 1990. Decidido a por cobro a isso, o defeso viu um Liverpool agressivo no mercado de transferência, com uma capacidade financeira de fazer inveja a clubes mais ricos. Numa aposta clara para o ataque, Benitez adquiriu um trio de avançados, todos eles jovens, ostentando cada um a arma destes "pistoleiros" dos tempos modernos: golos, golos e mais golos. Fernando Torres, Ryan Babel e Voronin, juntam-se ao já existente Kuyt, dispostos a assombrar as defesas contrárias.

O forte investimento não se ficou por aqui. Lucas, ídolo do Grémio, titular da Selecção Sub-20 brasileira, médio de características defensivas, juntou-se a um plantel em que já existem Sissoko, Mascherano, Xabi Alonso e Gerrard. De Londres, veio o israelita Benayoun, extremo com enorme experiência, aumentando quase de forma exponencial as soluções para o espanhol com ar de intelectual. Não se furtando ao combate, Rafa Benitez também já afirmou qual a competição mais importante para o clube: a Premier League. O pretendido: o título. Não se fez rogado, escudado no plantel com vário nomes sonantes. Mas, sendo o campeonato aquilo que se sabe, com várias equipas a lutar pelo mesmo desiderato, o que acontecerá ao espanhol, no caso de um falhanço estrepitoso? Terá crédito junto dos adeptos e, principalmente, da Direcção do clube da cidade dos Beatles?

Arsene Wenger - Dos quatro clubes assumidamente candidatos ao título, o francês será, juntamente com Alex Fergunson, o que parte em posição mais tranquila. Se é certo que o popular clube londrino não vence a principal liga do seu país já à vários anos, o investimento no plantel não tem sido avultado, ao contrário dos principais rivais. E se "sem ovos não se fazem omoletes", o grau de exigência não será elevado. Perdida a jóia da coroa, Thierry Henry, e um dos históricos do plantel, Ljunberg, o Arsenal tem vindo a apostar, cada vez mais, na sua formação, com vários nomes chamados ao plantel principal. Ainda desconhecidos da maioria dos adeptos, nomes como Nicklas Bendtner, Armand Traore, Denilson, Justin Hoyte, Clichy e Alexandre Song irão por certo ficar famosos a curto prazo. A excelente prestação dos reservas, na última edição da Carling Cup, onde atingiram a final, caindo apenas aos pés do Chelsea, é um bom certificado de qualidade para um plantel onde pontificam nomes como Fabregas, Flamini, Gallas - o toino que quis sair do Chelsea para vencer por outra equipa - Van Persie, Hleb ou Rosicky. Com a maior parte do orçamento disponível a ser gasto na contratação, algo surpreendente atendendo aos valores, do croata-brasileiro Eduardo (25 milhões de euros), o Arsenal sabe que parte em desvantagem, relativamente aos principais rivais, mas consciente que tem matéria-prima suficiente para efectuar uma época consentânea com os pergaminhos do clube. Chegará, no entanto, para o título? Hummm..quer-me parecer que é uma tarefa hercúlea, mas o campeonato inglês costuma ser pródigo em surpresas...
-------------------------------------------------------------------------------

7 comentários:

fanluso disse...

Olá e parabéns. Belo blog, profusamente ilustrado e com óptimos artigos.

Se quiserem saber mais sobre o Cristiano Ronaldo, apareçam em:
http://www.cristianoronaldo-tigre.com/

cesariny lages disse...

Em Inglaterra gosto do Arsenal. Sempre gostei e ainda mais quando Wenger foi para lá. Goste-se ou não do estilo, é um técnico que lança jovens. Daí o ele não assumir directamente a candidatura ao título, mas sonha com ela, de certeza. Acho que a equipa este ano tem potencial. Van Persie pode assumir um lugar de destaque, que era de Henry, e com um meio campo e defesa fortes, é possível sonhar. Pena o empate em Blackburn, num jogo totalmente dominado. Dois pontos que se perdem. Mas acredito numa gracinha.

Site em remodelação, mas brevemente a "bombar"
http://coracaoleao.blogspot.com/

rui tavares disse...

Não concordo qu Wenger esteja debaixo de fogo. Dos grandes candidatos, será mesmo aquele a quem menos é exigido. Perda do Henry, pouco dinheiro gasto em contratações, uma equipa muito jovem, ilibarão o francês de qualquer percalço. Em relação a Benitez, aí a história já é outra. Esta é mesmo a época em que ele estará, como disse Mourinho, ao nível dos melhores. No ano passado, antes da 2ª mão da meia-final da LC contra o Chelsea, deu-se ao luxo de poupar todos os titulares!!! Pudera, só disputava mesmo essa prova. Mourinho já não pode fazer isso, pois litava em todas as frentes. Este ano, se bem que o Liverpool se reforçou bem, tb é certo que estará em competição em todas as provas, até ao fim. E aí é que Benitez terá que mostrar o que vale.

Abraço

casimiro martins disse...

Sendo eu um adepto de longa data do futebol inglês, é com evidente agrado que vejo um blog com temática sobre o tema. Desde já, agrada-me sobremaneira o aspecto agradável do blog com artigos interessantes. Se mantiverem o nível, por certo, não vos faltará uma legião de fãs.

Ah, para que conste, sou adepto do Liverpool.

pedro vieira disse...

Belo blog, com uma temática atractiva e bem aprofundade. Têm muito material para colocarem aqui. Para já, excelente!

Passem também em http://alvalaxia.blogspot.com/, onde se tenta aprofundar mais do que é normal num blog de um grande toda a realidade que envolve um clube de futebol.

carlos magno disse...

Concordo com a opinião já aqui expressa. Duvido que Wenger seja pressionado, a não ser que a época corra de forma catastrófica, o que não me parece provável. Agora sim, em relação a Benitez, o espanhol este ano vai ter que mostrar resultados do investimento avultado feito. Parece-me que, ao contrário de outros anos, estão mais sólidos, capazes de discutirem até ao fim. E, se isso acontecer, vai ser uma luta fabulosa, pois o Manchester não se deve ficar.

Paulo Pereira disse...

Já existe um na corda bamba, dos nomes focados nesta série, mas por acaso ainda não publicado. Martin Jol, a fazer fé nas notícias que chegam de Espanha, tem o lugar em perigo. Juanda Ramos, treinador do Sevilha, aformou que foi convidado pelos londrinos. Tempos difíceis para o holandês.