domingo, 19 de agosto de 2007

Resultados - jornada 3

Depois do grosso dos jogos terem sido realizados ontem, os mais apetecíveis, aqueles que fazem a ansiedade dos adeptos subir em flecha, realizaram-se hoje. E que jogos!

Manchester City, 1 - Manchester United, 0
marcadores: 1-0 (Geovanni)

Um derby é sempre, em qualquer circunstância, um jogo especial. Neste caso então, nem se fala. Atipicamente, de um lado, o Manchester City a fazer o papel do vizinho mais mediático, isto é, contando com vitórias os jogos disputados. Do outro, como se num estranho caso de troca de identidades se tratasse, o Manchester United com dificuldades inesperadas neste começo de época. No banco dos azuis de Manchester, um velho senhor do futebol mundial, fleumático, sagaz, com uma bela equipa nas mãos, constituida com inteligência num misto de jogadores experientes e jovens talentosos. Já se sabia que seria um jogo tremendamente complicado para os campeões em título. Pela lesão de Rooney, pelo castigo aplicado a Cristiano Ronaldo, a figura maior do clube e pelos dois empates iniciais no campeonato, cedendo pontos preciosos à concorrência. Geovanni, ex-jogador do Barcelona e Benfica, titular na partida, marcou o único golo do encontro, num belo remate de fora da área. A reacção do United foi intensa, sobretudo na 2ª parte, com várias oportunidades para empatar a contenda - tarde verdadeiramente infeliz de Tevez - mas a entrega, o espírito de sacrifício demonstrado e o empenho dos jogadores do City não permitiram a igualdade, que se adaptaria melhor ao que se passou no clássico. Vida cada vez mais difícil para o United, que recebe o Tottenham na próxima jornada. Estado de graça para Eriksson e seus rapazes, única equipa sem golos sofridos nesta edição da Premier League. Micah Richards foi, novamente, portentoso!

Balckburn, 1 - Arsenal, 1
marcadores: 0-1 (Van Persie), 1-1 (David Dunn)

Na conferência de imprensa que antecedeu o arranque da Premier League, Arsene Wenger tratou de tirar de cima dos ombros dos seus jogadores qualquer pressão adicional, quanto questionado se a equipa poderia competir com os colossos Chelsea e Manchester United. "We're too young", comentou com ar algo contrito o francês, habitualmente almofadado na mesma desculpa. No entanto, para evitar correr o risco de ser acusado pela imprensa de falta de ambição, também disparou um “Yes, I believe we are mature enough to be title winners”. Pois, até pode ser que sim, e a equipa, na 1ª parte, fez jus aos pergaminhos do clube. Bela exibição, a que provavelmente faltou mais um golo. O Blackburn, privado do seu melhor marcador - McCarthy entrou a 2 minutos do fim - devido à lesão no jogo anterior, lutava bravamente, conseguindo o empate noutro comprometedor erro - e vão dois - de Lehmann, não parando um defensável remate de Dunn. Realce apenas para a complacência arbitral, perdoando a expulsão a Van Persie, numa entrada de arrepiante dureza sobre um defesa adversário.

Liverpool, 1- Chelsea, 1
marcadores: 1-0 (Fernando Torres), 1-1 (Lampard, gp)

O jogo grande da jornada e um dos mais apetecíveis da Premier League. Com dois mestres do detalhe no banco, numa rivalidade própria, o relvado de Anfield foi pisado por algumas das mais mediáticas figuras do futebol mundial. No Chelsea, continua a novela do lado direito da defesa, com Mourinho a optar, desta feita, por Essien, num claro sinal de que não confia em nenhum dos defesas direitos de raiz que tem no plantel. Do lado do Liverpool, a aposta na dupla de avançados em que Benitez, pelo que se tem visto, mais acredita: Kuyt e Fernando Torres. Curiosa não deixa de ser a aposta continuada no jovem espanhol Alvaro Arbeloa, contratado em Janeiro à Real Sociedad, onde tinha chegado dispensado pelo...Real Madrid. Do inferno ao céu num curto espaço de tempo. O jogo, como quase todos os jogos em Inglaterra, decorreu num ritmo trepidante. Só de ver, cansa. Cedo, aos 15', numa rapidíssima jogada de contra-ataque, depois de um magistral passe de Gerrard, Fernando Torres marcou o seu 1º golo em Inglaterra. Belo trabalho do jovem espanhol sobre Ben-Haim, mas impõe-se um exercício algo especulativo: com Ricardo Carvalho, aquele golo aconteceria? Tenho sérias dúvidas!

A partir daí o domínio do Chelsea foi intenso, numa personalizada exibição, que só não rendeu golos por manifesta infelicidade. Destaque para um falhanço de Kalou - rápido e lutador, mas pouco mais - e para um desvio de Terry, saindo a milímetros do poste de Reina. Depois do intervalo, assistiu-se a mais do mesmo, com as oportunidades dos comandados de Mourinho a serem desperdiçadas. O empate surgiria numa grande penalidade polémica, convertida com a frieza costumeira por Lampard. Até final, a reacção dos "reds" provocou alguns calafrios aos londrinos, mas o resultado não sofreu alterações. Empate que se aceita, num belíssimo jogo de futebol.
-----------------------------------------------------------------------------

10 comentários:

j,j. disse...

Manchester 3 jogos 2 empates e uma derrota. Com contratações milionárias e vai de mal a pior.....

Anónimo disse...

http://www.voteyourteam.com/

Vamos elevar o nome do nosso Grande FC PORTO.

Votem agora, e 1 hora depois podem voltar a votar.

Mas votem mesmo.

eagle01 disse...

Geovanni (ex Benfica) marcou 1 golo? Fantástico ... espero que marque muitos para mostrar, também ele que saiu a custo zero, que os jogadores do Benfica têm na generalidade melhor retorno desportivo que os do FCP, quando saem deste antro de competições viciadas

Paulo Pereira disse...

Eia, deves ter estado toda a sante tarde a matutar nesse comentário, não é eagle? Gostei sobretudo dessa apreciação:"jogadores do Benfica têm na generalidade melhor retorno desportivo que os do FCP"
Trés magnifique!!!
Casos de Maniche, Ricardo Carvalho, Paulo Ferreira, Pedro Mendes, Deco, Hugo Almeida, só para citar alguns, não devem ter entrado nessa tua equação, pois não?
Mas para k? O k te interessava era destilares um pouco da azia k vais sentindo, e para isso kk coisa servia..

ps: Um conselho. Este é um blogde temática diferente. Abordam-se apenas assuntos da Premier League. Toda e kk tentativa de criar aqui um bate boca sobre o campeonato nacional não será bem sucedida. Respondi-te apenas e só para não eliminar logo o comentário. Por isso, se resolveres passar por cá novamente, tento na língua, senão és liminarmente censurado...

Anónimo disse...

Hoje já não interessa comentar muito o penalty inventado, pois não, a favor do Chelsea?

Paulo Pereira disse...

Santa alminha do senhor! Deve ser aquela hora datarde em k passam por aqui os cromos todos.
Ó anónimo, se sabes ler, algo k sinceramente começo a duvidar, já te deves ter apercebido k procuro ser o mais imparcial possível. Não escondo a afeição pelos Chelsea, mas ela não me tira o discernimento para achar que sim, efectivamente, o penalty hj é forçadissimo. Mas, quem lê o teu comentário, vai julgar k isto é um antro de branqueamento sobre erros arbitrais. É uma ideia errónea, completamente deturpada pelo teu infeliz e pouco conciso disparate proferido. Gosto do Chelsea, da mesma forma k nutro alguma simpatia pelo Arsenal, k adoro a mistica k envolve o nome do Liverpool, etc, etc, etc.
Acima de tudo, em Inglaterra, adoro o futebol, a incerteza dos resultados e a distância deste futebol luso feito de comentários mesquinhos, de gentinha como tu, medíocre.

Curto e grosso: FODE-TE!

NUNO disse...

O Liverpool provou hoje, uma vez mais, a excelente equipa que é. Foi melhor que o Chelsea, não querendo dizer que os 'blues' jogaram mal.Dois candidatos ao título do melhor campeonato em mais uma délicia de jogo vindo do Reino Unido. Como gostava de ver jogos assim aqui em Portugal.

Paulo Pereira disse...

Provou sim, Nuno. O Liverpool está com um plantel fantástico, mas lá está, foi para isso mesmo k se gastou tanto dinheiro, algo k Benitez sempre aproveitou para atacar Mourinho, e as compras milionárias do Chelsea. Mas afinal...
Não concordo muito com a análise. Não acho k o Liverpool tenha sido melhor. O jogo foi repartido, mas o Chelsea controlou, após sofrer o golo, excepção feita para os últimos minutos, qd o espanhol lançou toda a carne para o assador. Mas será de certo um grande campeonato.

Abraço,

carlos magno disse...

Toda a gente comenta o Chelsea e o Liverpool, mas quem vai à frente é o Manchester City. E, como já aqui o afirmaste, Eriksson tem ali uma bela equipa. Vi o jogo hoje, pela primeira vez, e gostei de vários jogadores. Corluka, Micah Richards, Dunne, Bianchi, Petrov, k belo conjunto. Tiveram alguma sorte, é certo, e não souberam aproveitar alguns contra-ataques na 2ª parte, mas no computo geral, pareceu-me uma equipa trabalhadora, com talento e k pode ir longe.

laudrup disse...

Parabéns pelo blog e pelos excelentes conteúdos. Andando eu algo afastado destas lides ultimamente, é com prazer que vejo novos projectos, diferentes do habitual blog dedicado aos grandes portugueses, numa temática original e com óptimos artigos.

Fiquei fã