domingo, 2 de setembro de 2007

Resultados - jornada 5


Arsenal, 3 - Portsmouth, 1
marcadores: 1-0 (Adebayor, gp), 2-0 (Fabregas), 3-0 (Rosicky), 3-1 (Kanu)

Os adeptos do Portsmouth devem estar a amaldiçoar as bolinhas da sorte, referentes ao sorteio da Premier League. O bom início de prova dos comandados de Harry Redkapp esbarrou em duas jornadas consecutivas fora de casa. Se isso já seria uma carga de trabalhos suficiente para tirar o sono ao treinador, defrontar em semanas consecutivas o Chelsea e o Arsenal, em Londres, é dose. Se contra os blues a exibição do Portsmouth mereceria melhor sorte do que a derrota tangencial, frente ao Arsenal as veleidades de pontuar foram rapidamente cerceadas pelo golo madrugador de Adebayor. A jovem armada de Wenger, apostada em provar o seu valor, jogo após jogo, controlou a partida, mesmo após a expulsão de Senderos, por vermelho directo. Com 2-0 no marcador, pensou-se que a reacção do Portsmouth, faltando ainda 40' para o derradeiro apito, poderia colocar em causa a vitória dos gunners. Nada mais falso. Novamente um médio, o checo Rosicky, marcou e colocou definitivamente um ponto final na emoção, a que nem o golo de Kanu conseguiu ressuscitar.

Blackburn, 1 - Manchester City, 0
marcadores: 1-0 (McCarthy)

Segunda derrota consecutiva para o City de Eriksson, fazendo a equipa de Manchester acordar do belo sonho que andava a protagonizar. Novo golo sofrido - e vão apenas 2 encaixados em 5 jogos - valeram a perda de 3 pontos, num jogo que se antevia de enorme dificuldade. O Blackburn, ainda invicto, comprova os elogios que os analistas devotam semanalmente à equipa de Mark Hughes. Benni McCarthy, o 3º melhor marcador da época passada, marcou o 1º golo nesta nova temporada, fazendo uma dupla de ataque que tem enamorado os adeptos do Rovers com Roque Santa Cruz. 8 pontos, com menos um jogo, alcandoraram a equipa do Balckburn para lugares cimeiros. Estando já presentes na Taça UEFA, com que se satisfará a equipa, no final da temporada? Com novo acesso à 2ª competição uefeira? Ou algo mais?
O futuro o dirá. Daqui a 15 dias vem o teste mais complicado até o momento, quando se deslocarem a Stamford Bridge, para defrontar o Chelsea. O Manchester City, finalmente em casa, terá novo osso duro pela frente, competindo pela vitória com o Aston Villa, de Martin O'Neill.

Aston Villa, 2 - Chelsea, o
marcadores: 1-0 (Zat Night), 2-0 (Agbonlahor)

Está visto. O Aston Villa assume-se como uma espécie de "besta negra" do Chelsea com o cunho de Mourinho. Em casa, ainda não foram derrotados pelo special one. Num jogo que se antevia de enorme dificuldade para os londrinos, a que a lesão de Lampard não ajudava, os blues não conseguiram impor o seu jogo, pese terem jogado os dois últimos reforços a chegar a Stamford Bridge: Alex e Belleti. Neste momento, estarão os adeptos londrinos a rogar pragas a Zat Night, autor do 1º golo, antigo conhecido do Fulham, mudado de armas e bagagens para Birmingham no início da semana. Foi um caso de chegar, ver e vencer. Imperial, o central negro não podia almejar melhor início no Aston Villa. Estes, liderados sabiamente por Martin O'Neill, vão recuperando do mau início de época, chegando-se aos lugares cimeiros, que o técnico escocês já fez saber querer lutar, até ao fim. Em desvantagem, o Chelsea teve várias oportunidades de igualar a contenda, mas nem Drogba, habitualmente o abono de família do ataque londrino, nem Pizarro ou Kalou tiveram arte e engenho para desfeitear Scott Carson, um guarda-redes com enorme futuro pela frente. Primeira derrota na Premier, deixando um travo amargo na boca, que durará pelos menos duas semanas.
------------------------------------------------------------------------------

5 comentários:

luis disse...

É como dizes, Paulo.O Martin 0'Neill, ainda com a Taça UEFA na garganta, anda a ser a besta negra do Mourinho. Infelizmente não deu o jogo, mas pelo que li - o as.com fez o relato escrito - foi uma vitória merecida. Agora, há que olhar em frente e vencer o Blackburn, o que não será fácil.

Abraço,

paulo cardoso disse...

acabou o estado de graça de Mourinho. assim como Van Gall que ganhou tudo no Ajax (campeonato, Champions...) e no Barcelona onde também foi campeão, seguiu-se um completo apagamento e falta de títulos. Mourinho é bom sim senhor, mas a imprensa faz dele melhor do que realmente é. Mourinho tem o mérito de ser perito nos "jogos psicológicos" e tem um fantástico marketing pessoal. Cheira-me que o seu reinado acabou...

Paulo Pereira disse...

Ó Paulo, nunca li tanta imbecilidade junta. Ó homem, acredito k por qualquer motivo desconhecido, você não goste do Mourinho. Até aí, tudo bem. Agora, aproveitar uma derrota, num campo difícil, para dizer esse arrazoado de inutilidades é k era escusado. Ficamos assim a saber, por essa sapiência quase infinita, que Mourinho venceu o que venceu porque...tem um fantástico marketing pessoal. UAU! Com esta, ganhou o prémio de idiotice do mês de Setembro, e ainda só vamos no início...

Quanto a Van Gaal, lamento informá-lo, mas o holandês continuou o trabalho iniciado por Adriaanse no AZ. Aquela que era uma anónima equipa de uma cidadezinha, é agora uma força no país das tulipas. Não confunda excelentes trabalhos com falta de título.

Espero vê-lo por aqui, no final, quando se fizerem as contas da época!

zé pedro disse...

Volto a frisar que neste momento me parece que o Liverpool vai embalado para aumentar a vantagem. A lesão de Lampard pôs a nú algumas fragilidades do Chelsea, mas o nível qualitativo é muito elevado em Inglaterra, como se vê pelas prestações do Aston Villa, Blackburn ou Manchester City. Acima de tudo, um campeonato interessante, que lamentavelmente vai parar 15 dias.

Abraço,

luis silva disse...

Aos "abutres" que inequivocamente aparecem quando a equipa de Mourinho perde, quero apenas dizer o seguinte. Tristes, sois tão exíguos que a única alegria que vos resta é ter algo que alimente a vossa inveja. Se fossem capazes de fazer pelo País 000,1% daquilo que Mourinho faz pelo Futebol, eram "Grandes-Homens".