sábado, 1 de setembro de 2007

Resultados - jornada 5

Fulham, 3 - Tottenham, 3
marcadores: 0-1 (Kaboul), 0-2 (Berbatov), 1-2 (C.Dempsey), 1-3 (G.Bale), 2-3 (Smertin), 3-3 (Kamara)

É o que dá escrever por antecipação. Num derby tudo pode acontecer, mesmo num que parece morto e enterrado a 15 minutos do fim. Tinha já eu escrito que, num confronto em que ambos os contendores necessitavam de pontos desesperadamente, tinha prevalecido a maior valia do Tottenham, tendo até realçado os golos dos spurs, marcados por Kaboul e Gareth Bale, jogadores que tinha destacado na rubrica "potenciais estrelas". Só que é um lugar comum dizer que os jogos só terminam aos 90', e este não foi excepção à regra. Smertin reduziu distâncias aos 77' e Kamara, nos descontos, empatou a contenda, para delírio da multidão. Amargo de boca para Martin Jol e seus rapazes, que continuam o calvário de resultados - apenas uma vitória em 5 jogos - e um justo prémio para o Fulham, já penalizado nesta Premier League com dois golos nos descontos que lhes retiraram preciosos pontos. Desta feira, a sorte sorriu-lhes.


Bolton,1 - Everton, 2
marcadores: 0-1 (Yakubu), 1-1 (Anelka), 1-2 (J.Lescott)


Vitória arrancada a ferros, mesmo no último minuto, numa vitória importante do Everton, que põe fim a duas jornadas sem vencer, continuando nos lugares cimeiros da tabela. Do outro lado, nova desilusão dos adeptos do Bolton, que esperariam, por certo, nova vitória face ao factor caseiro. Anelka, o máximo goleador da equipa e da Premier, ainda deu algum alento, com o golo do empate, mas a desilusão surgiu mesmo no fim. Vida difícil para o Bolton, que ainda não se encontrou, desde a saída do carismático técnico Sam Allardyce.


Liverpool, 6 - Derby, 0
marcadores: 1-0 (Xabi Alonso), 2-0 (Ryan Babel), 3-0 (F.Torres), 4-0 (Xabi Alonso), 5-0 (Voronin), 6-0 (F.Torres)


Os reds cumpriram a obrigação de vencer o último classificado, num jogo inteiramente dominado pela equipa da casa. Sem grande esforço, o resultado foi sendo construído, com a curiosidade de Babel, o único dos avançados do plantel que até agora não tinha marcado, a fazer o gosto ao pé e a estrear-se a marcar na Premier. Também o sonante reforço, El Nino Torres aproveitou para aumentar o seu pecúlio na liga inglesa - conta agora com 3 golos - mostrando estar disposto a lutar pelo ceptro de melhor marcador. Xabi Alonso, na ausência de Gerrard, assumiu a batuta de organizador, aproveitando para "molhar a sopa" por duas vezes, num resultado que demonstra bem a excelência do futebol do Liverpool. Se dúvidas houvesse, aí está mais uma mostra da candidatura ao título. Destaque para a imperial exibição de Mascherano, novamente titular.


Middlesbrough, 2 - Birmingham,0
marcadores: 1-0 (Wheater), 2-0 (S.Downing)


Continua a recuperação na tabela classificativa da equipa de Middlesbrough, depois do péssimo início de campeonato, onde coleccionou duas derrotas. Com esta vitória frente ao Birmingham, soma o terceiro resultado positivo, com a segunda vitória a permitir a subida a um tranquilo lugar na tabela classificativa. Se desta feita Mido, a nova estrela da compnahia, não fez o gosto ao pé, os centro-campistas do Boro trataram de arrumar a questão, ainda durante a primeira parte. Downing, um dos mais promissores extremos ingleses, fez o segundo golo da temporada.



Newcastle, 1 - Wigan, 0
marcadores: 1-0 (Owen)

Vitória sofrida, arrancada a ferros pelo Newcastle, pelo seu mais carismático jogador, aos 87'. O Wigan, a fazer uma boa temporada, resistiu estoicamente, pois jogou toda a 2ª parte reduzido a 10 elementos, depois da expulsão de Killbane. O Newcastle, ainda invicto, almejando grande vôos, obteve uma vitória importante, somando 8 pontos, tendo ainda um jogo em atraso. A contratação de Sam Allardyce para o comando técnico dos magpies, revela ter sido a mais acertada por parte da direcção do Newcastle, que segue de vento em popa.


Reading, 0 - West Ham, 3
marcadores: 0-1 (C.Bellamy) 0-2 (Etherington), 0-3 (Etherington)


Resultado volumoso e algo inesperado. O Reading, equipa sensação da última temporada, já tinha empatado esta época em Old Trafford e lutado bravamente contra o Chelsea, derrotado pela margem mínima. O West Ham - uma das minhas equipas preferidas - depois de derrotado na jornada inaugural pelo City, continua na senda dos bons resultados, fazendo acreditar aos seus adeptos que a aflição da época transacta não se repetirá este ano. Bellamy, um dos enfant terrible a actuar em Inglaterra inaugurou o marcador - ele que já tinha assinado dois a meio da semana, na Carling Cup - cabendo os restantes a um médio de excelente qualidade, Etherington. 7 pontos para os visitantes, contando com um jogo em atraso. O Reading, agora ultrapassado na tabela classificativa, começa a ficar preocupantemente perto da zona proibida da classificação.


Manchester United, 1 - Sunderland, 0
marcadores: 1-0 (Saha)


Jogo com múltiplo motivos de interesse. Desde logo, pelo regresso a casa de Roy Keane, actual treinador do Sunderland e um histórico jogador do Manchester, tendo sido treinado, durante uma década, por Alex Ferguson. Os adeptos demonstraram não o ter esquecido, tributanto-lhe uma merecida e sentida salva de palmas. No Manchester, finalmente a estreia de Anderson, recuperado dos problemas musculares. Ainda sem Ronaldo, cumprindo o último jogo de castigo, Nani jogou a titular, com Giggs a ceder o lugar, no outro extremo, ao jovem Eagles. A primeira parte do Manchester foi abúlica. Sem chama, os red devils foram presa fácil da defesa abnegada do Sunderland, raramente criando perigo. Nani tentou sempre mostrar serviço, destacando-se no Manchester, juntamente com Evra - grande jogo - e Hargreaves. Anderson, apesar de voluntarioso, esteve longe da magia exibida no Dragão, raramente conseguindo fugir à apertada marcação que lhe era imposta. Na segunda parte, decidido a dar outro rumo à partida, Ferguson troca Anderson por Saha, ainda muito lento, devido ao tempo de paragem, mas mesmo assim decisivo, na obtenção do golo, quando o desespero se instalava em Old Trafford. 2ª vitória seguida, 2ª vitória sofrida, 2ª vitória pela margem mínima, com o Manchester ainda muito longe do exigido ao campeão em título. Tevez, apesar de preferido em relação a Anderson, escapando à substituição, continua divorciado dos golos. Quinta partida em branco.
---------------------------------------------------------------------------------

8 comentários:

diogo pinto disse...

Sofrida mas importante vitória do Manchester, mesmo sem jogar bem a tentar recuperar terreno. O Anderson nem jogou assim tão mal, fez 2 ou 3 bons passes, mas é notório que ainda não está bem fisicamente. Quanto ao resto, não há meio do Tottenham sair da fossa, e hoje esteve tão perto, a ganharem por duas vezes com dois de avanço. Também gostei das vitórias do Newcastle e do West Ham, que são dois históricos e de quem eu gosto bastante.

Abraço,

carlos magno disse...

O Anderson não jogou mal, mas também nãom jogou bem e quando foi preciso mudar, entre ele e o Tevez, saiu o elo mais fraco. O míudo é novo, tem tempo de se adaptar e Alex Ferguson procura motivar o argentino, sabendo que Saha ainda está longe da melhor forma e que Rooney está lesionado. Por isso, até foi bem visto pelo escocês. Fiquei impressionado com a máquina demolidora do Liverpool. Belos golos, um meio campo de combate, onde Mascherano me encheu as medidas. Avançados para todos os gostos, com capacidade de derrubarem qualquer defesa.
Acho que o Porto vai levar uma tareia das antigas.

Abraço,

Paulo Pereira disse...

Olhe que não, Carlos, olhe que não!
Não somos propriamente o Derby County. Temos as nossas armas e elas são fortes. Se lutamos de igual para igual com o Chelsea e o Arsenal, no ano passado, empatando ambos os jogos e com um total de 3 bolas nos ferros, não será Benitez e Cª a intimidarem-nos.

josé afonso disse...

Confirma-se uma coisa muito simples. O ManchesterUnited é uma equipa normal que tem a sorte de contar com um talento enorme que é o cristiano Ronaldo que a empurra para a frente. O Rooney tambem é muito bom e agora passaram a ter o Anderson e o Nani... estao melhores ... mas a defesa continua a ser uma defesa normal com um central bom (Ferdinand)...o problema é que equipas como o Milan e o Chelsea têm defesas muito boas. E para a Premier league não chega só ter o Ferdinand.

Paulo Pereira disse...

Respeitando opiniões, ó José, "só têm um defesa bom?". E então o Vidic? Ou o Evra, que hoje fez um jogão, é internacional numa das melhores selecções mundiais e é preferido por um dos melhores técnicos do mundo, Alex Ferguson? Quer-me parecer k está um pouco confuso...

casimiro martins disse...

Paulo, eu sei que não é das tuas cores predilectas, mas o Liverpool está imparável. Como eu tenho dito, grande equipa na forja...para ganhar tudo!

Abraço,

Paulo Pereira disse...

Olá Casimiro,

Nunca disse k o Liverpool não era dos meus predilectos. Não escondo a minha afeição pelo Chelsea, mas, como afirmei anteriormente, nutro alguma simpatia pelos reds...de Inglaterra. Grande equipa sim, mas o Benitez este ano não terá a desculpa da falta de dinheiro - ou o excesso do Chelsea, o principal argumento dele - para justificar insucessos.

Abraço,

tiago pimentel disse...

Boas,

Com os outros candidatos a jogarem só hoje, o Liverpool demonstrou a excelência do seu plantel, com inúmeras soluções. Qt ao Manchester, li atentamente o k Ferguson disse no final da partida e parece-me k ele não gostou nada de Anderson. Mas convenhamos, 1º jogo com a camisola do Manchester, vindo de uma paragem, não se podia esperar a lua por parte do brasileiro. E é isto que me irrita no treinador escocês. Primeiro, tentou atribuir o golo de Nani a Tevez (num discurso ridiculo), agora não fica contente com o Jurema, mas não diz nada de Tevez, k falhou golos incríveis contra o City e ontem voltou a não jogar nada. K raio de proteccionismo é este?

Abraço,