domingo, 23 de setembro de 2007

Resultados - jornada 7

Newcastle, 3 - West Ham, 1
marcadores: 1-0 [Viduka), 1-1 (D.Ashton), 2-1 (Viduka), 3-1 (N'Zogbia)

Confronto interessante, entre duas equipas de cara renovada e de ambições idênticas: um lugar na Europa do próximo ano. Ambas com um jogo em atraso, com atletas de qualidade técníca acima da média, proporcionaram um belo espectáculo, com golos e emoção a rodos. Na equipa da casa, feliz o treinador que conta com executantes como Owen ou Viduka, pois ambos são sinónimos de golos. Hoje foi a tarde do australiano, um veterano que não se cansa de marcar. Nos forasteiros, que mantiveram os 10 pontos na classificação, foi novamente Dean Ashton, o avançado que já destaquei nos "jogadores a seguir", que igualou a partida. Contudo, os comandados de Sam Allardyce não queriam falhar perante os seus adeptos, conseguindo uma vitória relativamente tranquila, subindo para o 4º lugar da tabela classificativa.

Aston Villa, 2 - Everton, o
marcadores: 1-0 (Carew), 2-0 (Agbonlahor)

A equipa de Martin O'Neill continua fortíssima a jogar perante o seu público, só tendo cedido os 3 pontos na jornada inaugural, perante o Liverpool. Derrotados na passada jornada, no terreno do surpreendente Manchester City, o Aston Villa, uma das equipas com um jogo a menos, aproveitou a ocasião e derrotou um dos seus rivais na luta por um lugar europeu. O norueguês Carew, tão criticado por ter falhado vários lances frente ao City, redimiu-se desta feita, abrindo o marcador, que sofreria nova alteração já na 2ª parte. Ambas as equipas ficam agora com 10 pontos, o Aston Villa em 8º e o Everton logo atrás, em 9º.

Blackburn, o - Portsmouth, 1
marcadores: 0-1 (Kanu)

Uma das supresas da jornada, se bem que a qualidade do Portsmouth fizesse prever que a vitória poderia acontecer. O Blackburn, até então invicto e com um poder enorme na frente de ataque, almejava o 4º posto da classificação, em caso de conquista dos 3 pontos. Sairam furados os planos à equipa de Mark Hughes, ainda com uma partida a menos, mantendo os 9 pontos com que entraram na contenda, exactamente a soma dos visitantes, após este triunfo, materializado com um golo do nigeriano Kanu, provando que a idade não lhe perturbou os instintos goleadores.

Bolton, 1 - Tottenham, 1
marcadores: 0-1 (Roy Keane), 1-1 (Ivan Campo)

Não foi hoje que se acabou a malapata dos spurs, apenas com uma vitória nesta edição da Premier League, logo eles que se assumiram como sérios candidatos a um lugar na próxima Champions. Em surdina, para os lados de White Hart Lane, havia inclusivé quem achasse que o Tottenham se podia intrometer na luta pelo título. Pois. Ao invés, os spurs vegetam neste momento num dos lugares de descida, apenas com 5 pontos, fraco pecúlio para quem tanto gastou no defeso. A vida de Martin Jol continua complicada. O "dead man walking", como lhe chamaram os jornais ingleses, apenas estará à espera de conhecer o nome do sucessor. O jogo de hoje não foi diferente dos anteriores. O Tottenham a adiantar-se no marcador, através de um dos seus carismáticos jogadores, e a sofer o golo do empate, logo depois, pelo espanhol Ivan Campo, jogador do actual penúltimo classificado, que somou hoje apenas o seu quarto ponto. O Bolton, um emblema que nos habituou a lutar sempre pelos lugares de acesso às competições europeias, sentiu claramente a saída do seu anterior técnico, o carismático Allardyce.

Manchester United, 2 - Chelsea, 0
marcadores: 1-0 (Tevez), 2-0 (Saha, gp)

O jogo grande da jornada e um dos mais apetecíveis do campeonato. É, tenho que confessar, com um nó na garganta que escrevo actualmente sobre os blues. Foram 3 anos de pura paixão por um emblema estrangeiro, apenas e só pela devoção por Mourinho, agora repelido de uma casa dominada por um oligarca russo que, ao que parece, pretende transformar Stamford Bridge num circo. A marioneta de serviço, cumulada generosamente de riqueza [um milhão de euros/mês] ocupou o lugar do Special One no banco, com os resultados que se conhecem. Há quem fale de prova de fogo, pela estreia nestas condições. Eu acho precisamente o contrário. Com 3 dias ao leme do clube, ninguém de bom senso pediria a vitória ao israelita Avram Grant, ainda por mais escudado no facto de jogar fora, no terreno do vigente campeão. Imaginam o que seria se o Chelsea jogasse em casa, com qualquer adversário? 90 minutos de cânticos de apoio a José Mourinho, estou certo. Por isso repito o que disse. Muita sorte teve o actual treinador em estrear-se nestas condições. O jogo pouca história teve, sobretudo porque desde cedo o Chelsea ficou reduzido a 10 elementos, pelo vermelho directo mostrado a Mikel. Como um mal nunca vem só [bem feita!], quando o empate parecia perdurar até ao intervalo, eis que Tevez marcou o seu primeiro golo nesta edição do campeonato. Na 2ª parte, o regressado Saha fechou a contagem, aos 89', na transformação de uma grande penalidade. O Chelsea joga em casa, na próxima semana, num derby londrino, frente ao Fulham. Esperam-se [pelo menos é o meu desejo] mais protestos dos adeptos dos blues à recente diatribe do russo.
--------------------------------------------------------------------------------

8 comentários:

tó mané disse...

O melhor protesto dos adeptos do Chelsea era concentrarem-se junto ao estádio e não entrarem. Adorava ver isso e as fuças do russo enjoado. Hoje levaram o justo prémio. Enfardaram de uma banal equipa do Manchester.

claudio santos disse...

tipo, eh obvio k eles perderam.o mourinho era alma dakela ekipa, dakele klube.ele fez mto beim em ter saido. ele era O Treinador, n 1 simples empregado d klube, k s deixava ir pelas falinhas d russo e d israelita, nepia, ele salvou as suas ideias. exe isrealita k so foi pa inglaterra pke tem mtas cunhas. pke em israel n fez trabalho nnhm. n knsegui o apuramento pa nnhma prova internacional plos klubes k paxou nem pela seleçao. faz m lembrar o couceiro... so vivem das cunhas.

tiago pimentel disse...

Importa só referir que, mais uma vez, à imagem do ano passado, o penalty favorável ao Manchester foi uma palhaçada. Devias ter referido isso no teu resumo, que diga-se, está excelente, como sempre.

Abraço,

Paulo Pereira disse...

Boas,

Tiago, não referi isso porque não vi o jogo até final. Estou de férias e dei uma saltada até Vilamoura, aproveitando para passear e aproveitar a transmissão da Sky. Como o jogo já estava mais do que resolvido, vim-me embora faltavam sensivelmente 5 minutos para o fim, e já não podia ouvir mais os canticos dos cabrões dos ingleses.
Mas isso poderá ser visto brevemente, qd colocar o video do jogo.

Abraço,

Pedro Vagos disse...

Efectivamente, rezam as crónicas inglesas que a arbitragem não foi nada isenta... mas isso é perfeitamente normal nos jogos do MU. MAs hoje por hoje, a qq português, o que interessava mesmo era ver as coisas a correrem mal para a comunidade judaica do Chelsea (leia-se Presidente e treinador). E o que é verdade é q não podia ter sido melhor... perderam, perderam bem e espero eu, ainda hão-de perder mais daqui para a frente.
A meio da semana há jogo para a taça da liga, fora com o Hull City... se esse não correr bem (leia-se vitória), não queria estar na pele do presidente e do treinador, no próximo jogo em casa.

Paulo Pereira disse...

É casom para dizer então que sou do Hull desde pequenino:)

Paulo Pereira disse...

Tó Mané, essa ideia de protesto agrada-me sinceramente, mas não deve ser exequível de ser posta em prática. Mas lá que dava um grande impacto as bancadas vazias e os adeptos cá fora, a cantarem, lá isso dava...

BRUNO ROCHA disse...

Apesar de tudo, não embarco em situaçoes de kerer que o Club de Abramovich perca sempre..agora o k é certo é k a par dos tiros nos pés dos Blues, ontem tb tudo parece ter acontecido, desde golos na alturas menos proprias de se sofrer..depois o penalty e a expulsao segundo a critica tb oferecem mtas duvidas..pelo que, talvez nao fosse de esperar mto mais...Kaunto a protesto..so tenho a dizer num clube onde kem manda é o dinheiro..o k podem fazer os socios e os adeptos..digo eu..nada. O russo ainda he da na cabeça e compra 50mil adeptos so para apoiar os azuis de Stanford....O chelsea era de facto um bom clube extra muros que gostava de apoiar mas so pelo facto de Mourinho ser a alma do projecto e ter a seu lado alguns jogadores portugueses..agora o Sir nao sabe o k faz ao vinho e eu nao sei por quem "puxar".....